Gastronomia Hospitalar

5 set

hospital Já faz algum tempo que comida de hospital deixou de ser sinônimo de comida ruim, sem tempero, feia e sem graça.  Atualmente, já  se sabe que os fatores que vão auxiliar na recuperação do paciente vão além do que ele pode comer ou não, se o alimento é rico neste ou naquele nutriente e também englobam aspectos emocionais, psicológicos e motivacionais do indivíduo. Por isso, o conceito da Gastronomia Hospitalar relaciona-se com alinhar a prescrição dietética e às restrições alimentares dos pacientes a refeições mais atrativas e saborosas, preservando as características organolépticas dos alimentos e garantindo a manutenção de um hábito alimentar saudável no período em que o paciente se encontra.

Para isso, hoje em dia, em diversos hospitais, além das questões nutricionais, vários dos conhecimentos gastronômicos vem sendo utilizados ao se preparar a dieta diária dos pacientes internados. Não é porque um paciente é hipertenso e não deve consumir sal, que sua dieta deve ser ministrada sem nenhum tempero, ou então, porque o quadro do paciente exige dieta pastosa que não haverá o cuidado de fazer com que os alimentos tenham a melhor aparência  e textura possíveis.  Fatores como os hábitos alimentares, a necessidade em termos de quantidade de alimentos, o direito de escolha, o diálogo com o responsável pela administração do serviço e o direito do paciente à informação relativa à alimentação (dieta) que lhe é servida, devem ser sempre respeitados, tornando, assim,  o ambiente mais agradável para o indivíduo, e fazendo-o sentir-se mais confortável, facilitando a adesão ao tratamento e melhorando sua estadia no ambiente hospitalar.

Um paciente que se alimenta bem e com prazer é um paciente mais perto da recuperação, o que faz com que, hoje em dia, diversos hospitais busquem um aprimoramento de sua gastronomia contratando chefes de cozinha para fazerem parte de sua equipe nutricional. Fatores essenciais como a textura líquida ou pastosa de uma sopa ou purê, ou ainda, a presença de sobremesas saborosas ao paladar são cuidadosamente planejados no intuito de que os momentos de refeição sejam agradáveis na rotina diária daquele paciente. Portanto, comida de hospital deixou de ser sinônimo de alimentação sem graça, uma vez que o trabalho em conjunto de nutricionistas, chefes de cozinha e a contribuição e preferências dos pacientes, estão direcionados a dar uma cara nova a esse momento tão prazeroso e importante que é o de se alimentar.

 

Referências:

http://www.materdei.com.br/419/comodidades_e_hotelaria/gastronomia_hospitalar

http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=1

http://www.ifsul.edu.br/congressogastronomia/wp-content/uploads/2012/08/2-       gastronomia-aliada-a-nutri%C3%A7ao3.pdf

http://www.castelobranco.br/sistema/novoenfoque/files/12/artigos/04.pdf

 

Fonte-imagem:

http://www.materdei.com.br/419/comodidades_e_hotelaria/gastronomia_hospitalar

Anúncios

Uma resposta to “Gastronomia Hospitalar”

  1. Edinalva 19 de novembro de 2013 às 18:22 #

    o bom e que dar pra emagrecer por conter pouco sodio eu ja testei isso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: