Produção de alimentos, sazonalidade e sustentabilidade, há lugar para tudo?

17 maio
Técnica de Cultivo Hidropônico, ambiente controlado supera a sazonalidade

Técnica de Cultivo Hidropônico, ambiente controlado supera a sazonalidade

Uma boa produção agrícola demanda uma série de quesitos como condições climáticas para cultivo, adequada manipulação e armazenamento durante todas as etapas de produção. Além da grande extensão territorial do Brasil, as novas tecnologias possibilitam a produção de alimentos diversos ainda que em condições desfavoráveis. Recursos como cultivo de alimentos em ambientes controlados como estufas, cultivo hidropônico, e melhoramento genético têm sido de grande valia para a produção de alimentos independentemente da época do ano.

Mesmo com a inserção de novas técnicas agrícolas, a sazonalidade, período em que as condições climáticas favorecem a produção de determinados alimentos, é um fator importante na escolha do consumidor. O plantio de determinados produtos em épocas adequadas permite maior produtividade, qualidade, menores custos e investimentos em insumos favorecendo um melhor preço final para a população.

Apesar dos novos recursos surgirem de modo a superar as tendências sazonais, o custo necessário para possibilitar sua oferta ao longo de todo o ano traz custos diretos ao consumidor. Usualmente as técnicas de produção utilizadas para propiciar condições superiores de cultivo aos alimentos têm sido apontadas e associadas a maiores valores do produto final, é o que se observa com vegetais hidropônicos, cultivados em estufa, entre outros. Seria o encarecimento presente no alimento resultante somente das diferentes técnicas de produção aplicadas?

Atualmente a produção de alimentos conta com tecnologias capazes de otimizar as colheitas. Utilizamos maquinários e transportamos alimentos por longas distâncias. Ao trocar o arado e a força animal, por tecnologias permitiu-se que o homem dispendesse menos energia e, por consequência, aumentasse a eficiência da produção, transporte e distribuição dos alimentos. No entanto, este aumento não foi acompanhado por investimentos na logística de transporte dessa produção. No Brasil, observam-se custos de transporte rodoviários superiores aos dos Estados Unidos em mais de cinco vezes para uma mesma distância. A falta de infraestrutura e estado de conservação de rodovias exercem grande peso neste custo. Além disso há grande dependência do mercado nacional do transporte rodoviário.

Ainda assim, produzimos muito mais investindo menos. Hoje temos tratores e automóveis movidos por uma substância barata, eficiente, porém raras as vezes lembra-se que é finita, o petróleo. Ela afeta diretamente o preço de tudo ao seu redor, tudo, inclusive alimentos.  Observe a dependência de nossa sociedade a esta fonte de energia que, infelizmente, irá se esgotar.

Nossa infraestrutura deve ser repensada antes que seja tarde. Cultivos em cidades distantes encarecem o preço dos alimentos pelos custos associados não somente ao combustível como também à precariedade das rodovias nacionais. Perdas e desperdício de alimentos são vistos desde o cultivo à entrega do produto. A logística de produção deve deixar de ser estruturada em torno de recursos não-renováveis.

Como medidas cabíveis é necessário pensar a longo prazo. A adoção de políticas agrícolas deve conciliar a sazonalidade e regionalidade das produções suprindo demandas localizadas (dispensando custos com transporte), as tecnologias necessárias na agricultura e transporte devem utilizar fontes de energia renovável, o planejamento agrícola deve ser transparente com ênfase em estoques que protejam a oferta ao consumidor, processos de estocagem reguladora são interessantes meios de proteger o consumidor e produtor, o aproveitamento sustentável deve ser adequado a cada região.

Observa-se portanto, que a questão dos custos associados aos alimentos necessita de planejamento e investimento, ainda que existam diversas técnicas agrícolas a sazonalidade deve ser considerada, e toda a infra-estrutura associada a logística de produção e transporte dos alimentos deve ser revista.

Anúncios

Uma resposta to “Produção de alimentos, sazonalidade e sustentabilidade, há lugar para tudo?”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Será orgânico mesmo? | Meta a Colher - 12 de julho de 2013

    […] Vamos por partes. O que é um produto ogânico? O produto orgânico é aquele no qual, entre outras finalidades, se busca um modelo de produção que visa otimizar os recursos naturais e socioeconômicos disponíveis dando enfoque nas produção de acordo com as diferenças regionais de cada local. Os alimentos são cultivados sem agrotóxicos, substâncias sintéticas e transgênicos. Tem por objetivo a busca da sustentabilidade econômica e ecológica. Grande parte destes assuntos foram citados em um post recente “Produção de alimentos, sazonalidade e sustentabilidade, há lugar para tudo?”. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: